ALL REGION
file not found - ppiweb/gBrazil.nsf
Canavial
Deficiência de nitrogênio: as folhas mais velhas tornam-se verde-pálido
Nitrogênio: Efeitos generalizados sobre toda a planta; definhamento das folhas mais velhas. Lâminas foliares uniformemente verde-claras a amarelas; colmos ficam mais curtos e mais finos; atraso no desenvolvimento vegetativo. Pontas e margens das folhas mais velhas tornam-se necróticas prematuramente.
À frente, plantas dificientes em fósforo; ao fundo, plantas normais
Fósforo: Lâminas foliares verde-escuras a verde-azuladas; coloração vermelha ou roxa aparece freqüentemente, particularmente nas pontas e margens expostas diretamente à luz do sol; folhas mais finas, mais estreitas e mais curtas que o normal; folhas mais velhas amarelas, eventualmente definhando a partir das pontas e ao longo das margens; colmos menores e mais finos; perfilhamento escasso ou ausente.
Deficiência em potássio: folhas mais velhas secas
Potássio: Bordas e pontas das folhas mostram clorose amarelo-alaranjada; lesões cloróticas localizadas entre as nervuras ao longo das margens e pontas das folhas; folhas mais velhas podem tornar-se totalmente marrons ou "queimadas"; colmos mais finos; descoloração vermelha superficial na face superior da nervura principal; folhas mais novas geralmente permanecem verde-escuras; cartucho distorcido, produzindo "topo de penca" ou aparência de "leque".
Deficiência severa de cálcio: as folhas mais novas secam e adquirem forma de gancho
Cálcio: Folhas mais velhas podem apresentar aparência de "enferrujadas" e podem morrer prematuramente; folhas novas enrolam-se para baixo, dando uma aparência de "gancho"; quando a deficiência é aguda, os cartuchos tornam-se necróticos nas pontas e ao longo das margens; formação de minúsculas lesões cloróticas com centros necróticos que mais tarde tornam-se marrom-avermelhadas; colmos tornam-se mais moles, mais finos, afilando rapidamente em direção ao ponto de crescimento.
Deficiência de magnésio: as pontuações necróticas atingem as bainhas
Magnésio: Aparência mosqueada ou clorótica começando nas pontas e ao longo das margens; lesões necróticas vermelhas resultando em aparência de "ferrugem". A casca do colmo pode mostrar coloração amarronzada internamente.
Deficiência de enxofre: folhas mais novas cloróticas (à esquerda)
Enxofre: Folhas jovens uniformemente cloróticas; podem desenvolver coloração roxo-clara; folhas menores e mais estreitas que as normais; colmos muito finos.
Deficiência de boro: folhas quebradiças e excesso de perfilhamento
Boro: Folhas torcidas; lesões translúcidas ou em forma de "sacos de água" entre as nervuras; plantas novas com muitos perfilhos; folhas tendem a ficar quebradiças; folhas do cartucho podem ficar cloróticas e mais tarde necróticas; freqüentemente chamada de doença do falso "Pokkah boeng"; também semelhante ao dano causado por alguns herbicidas; clorose nas pontas e margens das folhas novas progredindo da base para a ponta da lâmina foliar; por último, a clorose estende-se às folhas mais velhas; tecido clorótico rapidamente torna-se necrótico; pontas das folhas podem ficar severamente queimadas.
Deficiência em cobre: as folhas se curvam e a touceira parece ter sido amassada
Cobre: Manchas verdes ("ilhas"); folhas eventualmente descoloridas que tornam-se finas como papel e enroladas quando a deficiência é severa; colmos e meristemas perdem a turgidez (doença do "topo caído") e adquirem aparência semelhante à borracha; perfilhamento reduzido.
Deficiência severa de ferro: planta clorótica-esbranquiçada
Ferro: Clorose internerval da ponta para a base das folhas; a planta inteira pode tornar-se clorótica ou branca quando a deficiência for severa.
Imagem do Grupo Stoller, protegida por Lei Federal
Deficiência de manganês

Manganês: Clorose internerval da ponta até o meio das folhas; estrias cloróticas podem tornar-se brancas e necróticas e as folhas podem desfiar por ação do vento.
Deficiência de zinco: faixa larga clorótica na lâmina foliar
Zinco: Estrias cloróticas na lâmina foliar, coalescendo e formando uma faixa larga de tecido clorótico de cada lado da nervura central, mas não se estendendo à margem da folha, exceto em casos severos de deficiência; clorose inicia-se vascularmente; faixas longitudinais verde-claras ao longo das margens das folhas e verde-escuras ao longo da nervura central e das margens, originando-se da ponta para o meio da lâmina; tecidos internervais permanecem verdes inicialmente, mas logo toda a lâmina foliar pode tornar-se clorótica, estendendo-se para a base; folhas perceptivelmente curtas e largas na parte média e assimétricas; necrose na ponta da folha quando a deficiência é severa, progredindo da base para a ponta da lâmina foliar; perfilhamento reduzido e internódios mais curtos; colmos finos que podem perder a turgidez (elásticos).
Deficiência de molibdênio: estrias longitudinais curtas e cloróticas no terço superior das folhas mais velhas
Molibdênio: Pequenas estrias cloróticas longitudinais começando no terço apical da folha; folhas mais velhas secam prematuramente do meio para as pontas.